Como aumentar desejo sexual em pouco tempo sem remédios prejudiciais

Por definição, você pode ser diagnosticado com transtorno do desejo sexual hipoativo se você frequentemente não tiver pensamentos ou desejos sexuais e a ausência desses sentimentos causar angústia pessoal. Quer você se encaixe nesse diagnóstico médico ou não, seu médico pode procurar os motivos pelos quais seu desejo sexual não está tão alto quanto você gostaria e encontrar maneiras de ajudar. Além de fazer perguntas sobre seu histórico médico e sexual, seu médico também pode:

desejo sexual

Faça um exame pélvico. Durante um exame pélvico, o médico pode verificar se há sinais de alterações físicas que contribuem para a diminuição do desejo sexual, como adelgaçamento dos tecidos genitais, secura vaginal ou pontos que desencadeiam a dor.

Recomende o teste. O seu médico pode pedir exames de sangue para verificar os níveis hormonais e verificar se há problemas de tireóide, diabetes, colesterol alto e doenças hepáticas.
Encaminhar você para um especialista. Um conselheiro especializado ou terapeuta sexual pode ser capaz de avaliar melhor os fatores emocionais e de relacionamento que podem causar baixo desejo sexual

Tratamento

A maioria das mulheres se beneficia de uma abordagem de tratamento voltada para as muitas causas por trás dessa condição. As recomendações podem incluir educação sexual, aconselhamento e, às vezes, medicação e terapia hormonal.

Educação sexual e aconselhamento: conversar com um terapeuta sexual ou conselheiro especializado em lidar com questões sexuais pode ajudar com o baixo desejo sexual. A terapia geralmente inclui educação sobre resposta e técnicas sexuais. Seu terapeuta ou conselheiro provavelmente fornecerá recomendações para materiais de leitura ou exercícios para casais. O aconselhamento de casais que trata de questões de relacionamento também pode ajudar a aumentar os sentimentos de intimidade e desejo.

Remédios para aumentar desejo sexual

Seu médico vai querer revisar os medicamentos que você já está tomando, para ver se algum deles tende a causar efeitos colaterais sexuais. Por exemplo, antidepressivos como a paroxetina (Paxil) e fluoxetina (Prozac, Sarafem) podem diminuir o desejo sexual. Mudar para bupropiona (Wellbutrin SR, Wellbutrin XL) – um tipo diferente de antidepressivo – geralmente melhora o desejo sexual e às vezes é prescrito para mulheres com transtorno de interesse / excitação sexual.

Junto com o aconselhamento, seu médico pode prescrever um medicamento para aumentar sua libido. As opções aprovadas pela Food and Drug Administration (FDA) para mulheres na pré-menopausa incluem:

Flibanserin (Addyi), uma pílula que você toma uma vez ao dia antes de dormir. Os efeitos colaterais incluem pressão arterial baixa, tontura, náusea e fadiga. Beber álcool ou tomar fluconazol (Diflucan), um medicamento comum para tratar infecções vaginais por fungos, pode piorar esses efeitos colaterais.

Bremelanotida (Vyleesi), uma injeção que administra a si próprio imediatamente sob a pele, na barriga ou na coxa, antes da atividade sexual prevista. Algumas mulheres sentem náuseas, o que é mais comum após a primeira injeção, mas tende a melhorar com a segunda injeção. Outros efeitos colaterais incluem vômito, rubor, dor de cabeça e reação cutânea no local da injeção.
Esses medicamentos não são aprovados pelo FDA para uso em mulheres na pós-menopausa.

Terapia hormonal

A secura ou o encolhimento da vagina, um dos sinais característicos da síndrome geniturinária da menopausa (GSM), pode tornar o sexo desconfortável e, por sua vez, reduzir o desejo. Certos medicamentos hormonais que visam aliviar os sintomas do GSM podem ajudar a tornar o sexo mais confortável. E ficar mais confortável durante o sexo pode melhorar seu desejo.

Possíveis terapias hormonais incluem:

Estrogênio. O estrogênio está disponível em muitas formas, incluindo pílulas, adesivos, sprays e géis. Doses menores de estrogênio são encontradas em cremes vaginais e em um supositório ou anel de liberação lenta. Seu médico pode ajudá-lo a entender os riscos e benefícios de cada formulário. Porém, o estrogênio não melhora o funcionamento sexual relacionado ao distúrbio do desejo sexual hipoativo.

Testosterona. O hormônio masculino testosterona desempenha um papel importante na função sexual feminina, embora a testosterona ocorra em quantidades muito menores nas mulheres. A testosterona não é aprovada pelo FDA para disfunção sexual em mulheres, mas às vezes é prescrita fora do rótulo para ajudar a diminuir a libido. O uso de testosterona em mulheres é controverso. Tomá-lo pode causar acne, excesso de pelos no corpo e alterações de humor ou personalidade.

Prasterone (Intrarosa). Esta inserção vaginal fornece o hormônio desidroepiandrosterona (DHEA) diretamente na vagina para ajudar a aliviar o sexo dolorido. Você usa este medicamento todas as noites para aliviar os sintomas de secura vaginal moderada a grave associada ao GSM.

Ospemifeno (Osphena). Tomada diariamente, esta pílula pode ajudar a aliviar os sintomas sexuais dolorosos em mulheres com GSM moderado a grave. Este medicamento não é aprovado para mulheres que tiveram câncer de mama ou que apresentam alto risco de desenvolver câncer de mama.

desejo sexual

Tesão de Vaca depoimentos

O tesão de vaca que é um suplemento que é renomado no mercado por tratar a falta de libido, alguns tesão de vaca depoimentos contam como mudaram a vida de pessoas e é ótimo para a saúde feminina no geral.

Alimentos e ervas apoiados por algum nível de evidência

Certos alimentos, incluindo ervas, demonstraram aumentar o desejo sexual em pelo menos alguns estudos. Apenas tenha em mente que a maioria desses estudos não foi muito grande ou rigorosa, então não coloque todas as suas esperanças e sonhos neles.

Mais um petisco para lembrar quando se trata de suplementos de ervas: as doses variam de produto para produto, então certifique-se de seguir as orientações do fabricante.

Por falar nisso, também é uma boa ideia verificar com seu médico ou farmacêutico como qualquer um desses suplementos pode interagir com:

  • Medicamentos prescritos
  • Medicamentos de venda livre
  • Vitaminas
  • Ginkgo

O Ginkgo biloba é um suplemento de ervas popular que pode ser consumido de várias formas. A pesquisa preliminar sugere que o ginkgo pode ser eficaz como um afrodisíaco natural.

No entanto, os resultados de um estudo sobre o uso de ginkgo não são conclusivos sobre se ele realmente aumenta ou não a função sexual em mulheres.